A responsabilidade de Bolsonaro

Notas Oficiais - 31/03/2021
(Foto: Renato Spyrro / ONG Rio da Paz)

O foco total de um presidente da República neste momento deveria ser estancar uma pandemia que matou 3.780 brasileiros apenas nas últimas 24 horas. Ao invés disso, Bolsonaro lida com a maior crise militar em décadas na história brasileira provocada por ele mesmo.

Ao mesmo tempo em que o país segue em direção ao abismo de tantas mortes, temos um presidente sem rumo, sem noção de sua própria responsabilidade, neste momento incapaz de liderar a nação, de conciliar – parece só se sentir confortável em confrontar.

Alegou priorizar a economia, afrontou governadores, sempre provoca aglomerações, e agora desagrada até militares.

Mas se de fato tivesse se empenhado pelas vacinas, o que até há pouco subestimava publicamente, talvez tivesse evitado mais mortes e facilitasse uma retomada muito mais rápida do comércio e da economia.


X
31/03/2021