Alckmin e Doria lançam edital para concessão do Bilhete Único

Notícias - 29/08/2017
Foto: Ciete Silvério/ A2img

Brasília (DF) – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), lançaram nesta segunda-feira (28) um Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI), edital de chamamento público, para a concessão do Bilhete Único. Interessados em participar poderão enviar estudos para o estado e a Prefeitura, com projetos de investimento contrapartidas e sugestões para o processo.

As informações são de reportagem desta terça-feira (29) do jornal Folha de S. Paulo.

O edital vai ouvir propostas sobre o potencial de receitas acessórias com o Bilhete Único, como a utilização como um cartão de débito ou crédito. O modelo de concessão deverá ser definido de acordo com as sugestões feitas pelo marcado.

O prefeito de São Paulo, João Doria, destacou que o projeto vai gerar uma economia substantiva de recursos para o município. “Uma economia de R$ 107 milhões para o município e de R$ 53 milhões para o estado”, disse. “Tivemos um prejuízo consolidado, prefeitura e estado, de mais de R$ 100 milhões em fraudes. O setor privado terá condições de tecnologia mais avançadas e mais rápidas para o combate à fraude”, acrescentou.

O tucano pretende ainda fazer uma transição dos cartões do Bilhete Único para celulares, inspirado no que já acontece na Coreia do Sul.

“Todo nosso sistema será colocado em celulares. Em smartphones e normais. Na Grande São Paulo, 92% das pessoas são portadoras de celulares ou de smartphone. Isso acontecerá gradualmente, claro, mas vamos sair do cartão para a moderna tecnologia do celular”, afirmou. “Em Seul, não há dinheiro, cartão, dinheiro de plástico. Celular é a forma mais segura, mais eficiente, mais rápida, e com mais potencial de uso e de multiplicação de benefícios para o cidadão”, justificou o prefeito.

Para o governador Geraldo Alckmin, o projeto é um passo importante na reforma do estado e na parceria com a Prefeitura.

“Vamos ter vários ganhos: transparência, combate à fraude, dinheiro público que pode ser economizado, trazer recursos para a prefeitura e o estado, e criar novos serviços e investimentos”, completou o tucano.

Leia AQUI a reportagem do jornal Folha de S. Paulo.


X
29/08/2017