Ana Amélia visita a Capital Nacional do Leite

Notícias - 16/08/2018
Foto: Dilvulgação

A candidata a vice-presidente da República, senadora Ana Amélia (PP-RS), iniciou a campanha eleitoral, nesta quinta-feira (16), visitando a Agroleite 2018, em Castro, Capital Nacional do Leite, no Paraná. A gaúcha conversou com produtores e assistiu a um painel sobre o agronegócio, que contou com a presença dos ex-ministros da Agricultura, Roberto Rodrigues, Francisco Turra e Alysson Paonelli.

Ana Amélia destacou os custos da produção de leite e a concorrência que setor de lácteos nacional enfrenta com os produtos importados, principalmente dos Países da América do Sul e Europa. Ana Amélia defendeu uma visão estratégica do governo para impulsionar a produção brasileira, elevando a competitividade nos mercados externos.

— A Agroleite é uma grande vitrine da capacidade dos produtores e dessa gigantesca cadeia produtiva. Aqui pude ver a expansão e os investimentos em genética, inovação e tecnologia. É um orgulho muito grande estar aqui, na Capital Nacional do Leite, para ver o que essas pessoas foram capazes de construir apesar das dificuldades enfrentadas pelo setor de lácteos. Queremos mudar o Brasil criando um ambiente favorável para que os produtores rurais façam mais investimentos, gerando emprego, desenvolvimento e inclusão social — disse.

Na visita à Agroleite 2018, Ana Amélia estava acompanhada pelo ex-governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), candidato ao Senado. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município de Castro se destaca na liderança da produção de leite com 255 milhões de litros de leite, com produtividade medida de 7.478 litros por vaca no ano.

Protagonismo da política externa

Ana Amélia destacou que, para fortalecer o agronegócio brasileiro, o governo brasileiro deve estar preparado para derrubar embargos a produtos nacionais. Ela afirmou que faltou protagonismo à política externa brasileira no embargo da Rússia à carne Suína e da União Europeia à carne de frango e ao pescado.

Ela disse que o Brasil deveria ter aproveitado o fato de não ter feito questionamentos à Rússia no episódio do envenenamento do ex-espião russo, na Inglaterra, para cobrar o gesto daquele país na retirada do embargo à carne suína brasileira.


X
16/08/2018