Apesar de leve queda, varejo tem melhor resultado desde 2014

Notícias - 12/07/2017

O comércio varejista brasileiro teve um recuo de 0,1% em maio, frente ao mês anterior. Entretanto, as vendas cresceram 2,4% em relação ao mesmo período do ano passando, registrando o melhor resultado para o mês desde 2014. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados nesta quarta-feira (12). O deputado federal Izalci Lucas (PSDB-DF) aponta os números como um sinal da retomada da economia brasileira.

“Eu acho que a economia está melhorando, sinalizando uma tendência de melhora cada vez maior em função das reformas. Agora foi aprovada a reforma trabalhista – que estava bem encaminhada, os juros já caíram, a inflação baixou. Então, a condução da economia tá indo bem, com perspectiva de melhorar.”

Metade dos setores analisados pelo IBGE tiveram queda em relação ao mês anterior: tecidos, vestuário e calçados (-7,8%); seguido por livros, jornais e papelaria. Para Izalci, o país ainda vive os reflexos da crise econômica deixada pelos governos petistas.

“O Brasil está mal ainda. Mas foi um desastre. O governo do PT quebrou o país. A inflação já estava chegando em dois dígitos, os juros aumentando cada vez mais. Agora está acontecendo exatamente o inverso.”

Mesmo com o recuo tímido, o saldo é a segunda taxa positiva do ano. A principal contribuição veio do setor de móveis e eletrodomésticos. Segundo o IBGE, a dinâmica das vendas desse segmento pode ser associada à redução da taxa de juros às pessoas físicas. A alta de 5% no setor de tecidos, vestuário e calçados também ajudou, com a maior contribuição positiva frente ao mesmo período de 2016.


X
12/07/2017