BRICS deve fortalecer intercâmbios culturais, diz Bruno Araújo

Notícias - 13/11/2019

O fortalecimento das conexões culturais e interpessoais deve ser prioridade do BRICS – o bloco Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – assim como são as relações econômicas e diplomáticas. E melhorar a qualidade de vida das pessoas deve ser o objetivo dessa troca de riquezas culturais, territoriais e acadêmicas. Essa foi a mensagem do presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, durante a abertura do “Fórum sobre Intercâmbios Culturais e Interpessoais do BRICS” – evento paralelo à 11ª Cúpula do bloco, que acontece em Brasília.

“Do Brasil à China, podemos dizer que o BRICS abraça o planeta de leste a oeste. E é nessa conexão que o bloco tem obrigação de não olhar só para si. Esse conjunto de riquezas culturais, territoriais e acadêmicas deve ajudar na melhoria da qualidade de vida do nosso povo”, afirmou. Segundo ele, os acontecimentos na América Latina, nos últimos anos, dão um exemplo de que os governos precisam estar mais atentos à vida real, às relações interpessoais.

O presidente do PSDB participou, em 2013, de encontro parlamentar do BRICS na Rússia e avaliou como um avanço do bloco sair dos ambientes formais da diplomacia, necessários e importantes, para começar a chegar aos cidadãos. “Este Fórum traz a necessidade de falarmos do que é mais importante para as nações: relações interpessoais – people-to-people – e culturais. Esse é verdadeiro sentido da nossa existência como Estado. Antes de sermos nações, somos povos. E são os povos que interagem”, disse.

A realização do “Fórum BRICS sobre Intercâmbios Interpessoais e Culturais” foi uma parceria entre o Escritório de Informação do Conselho de Estado da China e o Ministério de Cidadania e Ação Social do Brasil. O tema central é o fortalecimento desses laços como terceiro pilar de cooperação do BRICS. Ao lado de Bruno Araújo, o deputado federal Eduardo Cury (SP) também representou o PSDB no evento.

Documentário
Também foi parte da abertura o lançamento global do documentário “Crianças e Glória”, co-produzido pelo BRICS. O filme traz um retrato da juventude de cada país-membro a partir das práticas esportivas. Cinco cineastas assinam o roteiro – um de cada nacionalidade do bloco.

“O documentário é exemplo relevante do objetivo desse intercâmbio pessoal e cultural que estamos propondo: cuidar da qualidade de vida e da formação das nossas crianças e jovens. Ainda mais quando isso se alia ao esporte, fundamental para o engajamento e o desenvolvimento da infância”, disse o presidente do PSDB.

Intercâmbio educacional
Antes da abertura oficial, Bruno Araújo e Eduardo Cury participaram de encontro com o diretor da Assessoria de Comunicação Internacional do Gabinete de Imprensa do Conselho de Estado da China, Zhao Jianguo; e outros debatedores do Fórum como Thandeka Dabata (Conselho de Estudos e Ciências Humanas da África do Sul), Srikanth Kondapalli (Escola de Estudos Internacionais da Universidade de Jawaharlal, Índia) e Lana Miranda (Centro de Intercâmbios de Futebol Brasil-China).

Na reunião, o presidente do PSDB argumentou que há um déficit na formação das crianças, sobretudo ocidentais, no que diz respeito à cultura e à história das nações milenares do Oriente – caso de China, Índia e Rússia. Nesse sentido, reforçou, se faz ainda mais necessário o intercâmbio nas áreas cultural e educacional.



X
13/11/2019