Eduardo Leite destaca impacto positivo das reformas no Rio Grande do Sul

Notícias - 28/01/2021

Os efeitos positivos das reformas promovidas nos primeiros dois anos de gestão no Rio Grande do Sul na busca pelo equilíbrio fiscal do Estado foram destacados pelo governador Eduardo Leite na Latin America Investment Conference, promovida pelo Credit Suisse, nesta terça-feira (26/1), em São Paulo.

Leite participou do painel “The challenges faced by Brasil states”, com a presença do governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do ex-governador do Espírito Santo Paulo Hartung e do presidente do Conselho do Credit Suisse Brasil, Ilan Goldfajn.

“Com muito diálogo, que é a melhor ferramenta para avançar na democracia, aprovamos a mais profunda reforma administrativa e previdenciária feita por um ente federativo no Brasil. Não apenas porque atendemos à reforma nacional, mas porque fomos além, reduzindo a faixa de isenção sobre a contribuição e cortando uma série de incorporações. Foram medidas decisivas para reduzir em R$ 1 bilhão o déficit previdenciário e gerar uma economia de mais de R$ 600 milhões com as despesas líquidas em 2020”, ressaltou Leite.

O governador mencionou estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), publicado pelo jornal Valor Econômico, em novembro, apontando que o Rio Grande do Sul foi o único Estado que apresentou já em 2020 redução de gastos com inativos e com pessoal.

“As reformas e o trabalho consistente na questão fiscal possibilitam o pagamento em dia, desde novembro, dos salários dos servidores do Executivo gaúcho, que estavam sendo quitados com atraso há 57 meses. Também geraram outros impactos positivos, como para a reposição de servidores na área da segurança pública, com redução constante dos indicadores de criminalidade. A queda foi de 30% nos homicídios, mais de 50% nos roubos de veículo e 75% nos ataques a bancos nos últimos dois anos”, acrescentou.

Leite destacou ainda as ações voltadas à geração de um ambiente mais competitivo para o setor privado, entre elas as concessões e privatizações.

“Tivemos o leilão da RSC-287, importante rodovia do Estado, com um deságio de 54,4% na tarifa de pedágio, e pelo menos outros quatro lotes também devem ir a leilão ainda neste ano. Para março está prevista a privatização da companhia de energia e ainda estamos debatendo o futuro da companhia de saneamento”, disse o governador.

Entre outros temas, também abordou os efeitos da pandemia na economia do país, estratégias para o enfrentamento ao coronavírus no RS, como a ampliação em 115% no número de leitos de UTI SUS e o menor excesso de óbitos em todos os Estados no ano que passou, além de medidas consideradas importantes para contribuir com a estratégia de aumentar os investimentos no Brasil, entre as quais, a reforma tributária.

(*) Do Governo do Rio Grande do Sul


X
28/01/2021