Eleições 2020 são marcadas por avanço das tucanas em grandes cidades

Notícias - 30/11/2020

Com o resultado do segundo turno das eleições municipais, realizado neste domingo (29/11), o PSDB consolida o avanço no número de mulheres eleitas para governar grandes centros urbanos. Em 2016 foram quatro municípios com mais de 200 mil habitantes conquistados por tucanas. Desta vez, seis grandes cidades elegeram mulheres do PSDB para prefeitas.

Além da capital do Tocantins, Palmas, que reelegeu Cinthia Ribeiro com 36,24% da preferência do eleitorado, as candidatas do PSDB também alcançaram a vitória nas urnas em Juazeiro (BA), onde Suzana Ramos conquistou 55,68% dos votosCaruaru (PE), com Raquel Lyra como a mais votada com 66,86% das preferências; Novo Hamburgo (RS), com Fátima Daudt recebendo 45,33% dos votos. E neste segundo turno, em Pelotas (RS), com a reeleição de Paula Mascarenhas com 68,70%; e Praia Grande (SP) com a eleição de Raquel Chini, conquistando 53,52% dos votos.

Vale ressaltar que Cinthia Ribeiro foi a única mulher a ser eleita para prefeita de capital no pleito de 2020.

Foram eleitas o total de 55 mulheres para prefeituras em todo o Brasil pelo PSDB. Mais de 3 milhões de brasileiros vivem nas cidades que elegeram tucanas como gestoras. O PIB destes municípios movimenta mais de R$68 milhões. Houve um aumento de aproximadamente 15% de governados, se comparado a 2016. Apesar do aumento ainda ser tímido, representa um avanço conquistado graças ao trabalho de formação política realizado pelo Secretariado Nacional da Mulher/PSDB para ampliar o protagonismo feminino na política brasileira.

Já na disputa para a Câmara dos Vereadores, o PSDB-Mulher elegeu 719 candidatas em cidades de todos os estados do Brasil

Representatividade feminina
O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) registrou ainda a eleição de 649 mulheres ao cargo de prefeito e 885 para o cargo de vice, o que significa 12,05% do total de chefes do Executivo local eleitos.

Apesar de ter tido um crescimento tímido, a participação feminina na política já caminha para além do cumprimento da cota obrigatória de 30% reservada pelos partidos. De acordo com a Justiça Eleitoral, no pleito deste ano as mulheres representaram 33,6% do total de 557.389 candidaturas, superando o maior índice das três últimas eleições, que não passou de 32%.

Além da cota de 30% de candidaturas femininas, nesta eleição municipal foi a primeira vez que entraram em vigor as novas regras da reserva de, no mínimo, 30% dos fundos eleitoral e partidário e a aplicação do mesmo percentual ao tempo de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão para as mulheres, com a obrigatoriedade dos partidos de fazer a divulgação dessas candidaturas.

Ainda assim, as mulheres continuaram como minoria entre candidatos para concorrer ao Executivo municipal. Só uma a cada dez candidaturas a prefeito é de mulher. Nas câmaras de vereadores, esse percentual é de 34%.

(*) Do PSDB-Mulher

Temas relacionados:



X
30/11/2020