Em sessão especial, Senado homenageia papel de Dante de Oliveira nas “Diretas Já”

Notícias - 26/04/2024

Os 40 anos do movimento “Diretas Já” foram lembrados, nesta sexta-feira (26) em sessão especial do Senado, no Plenário da Casa.

O movimento foi iniciado em 1983, quando Dante de Oliveira, antes mesmo de assumir o cargo de deputado federal por Mato Grosso, conseguiu as assinaturas necessárias para apresentar uma proposta de emenda à Constituição para instituir o voto direto para a escolha do presidente da República.

A iniciativa provocou diversos comícios históricos pela causa, mas mesmo com todo o apoio popular, a emenda Dante de Oliveira acabou sendo rejeitada. A emenda não passou, mas a campanha já tinha atingido seus objetivo. O país disse não à ditadura militar e sim ao futuro democrático junto com Dante de Oliveira.

Thelma de Oliveira, vice-presidente do PSDB-Mulher e viúva de Dante, participou da sessão comemorativa e destacou que o movimento foi todo muito pacífico: “Que a gente possa fazer disso um exemplo para o momento que nós vivemos de tanta polarização e tanta radicalização. Que a gente se una, que a gente tenha essa humildade e essa maturidade para fazer o nosso país unido novamente.”

“Quando a gente fala de Dante de Oliveira, a primeira palavra que vem à minha mente é democracia”, disse o deputado estadual por Mato Grosso, Carlos Avallone (PSDB-MT), que trabalhou por muitos anos ao lado do homenageado.

O autor do requerimento pela realização desta sessão especial foi Wellington Fagundes (PL-MT), amigo de Dante de Oliveira. Participaram da homenagem diversos familiares, autoridades e tucanos: Dante foi filiado ao PSDB de 1997 a 2006, ano que faleceu.

Dante de Oliveira foi deputado federal, prefeito de Cuiabá, governador de Mato Grosso e ministro da reforma e do desenvolvimento agrário.

Crédito das fotos: Kiko Scartezini e Agência Senado.
Mais imagens: Flickr do PSDB.
Sessão completa: Site do Senado.


X
26/04/2024