Goldman destaca importância de união para barrar Haddad e Bolsonaro

Notícias - 12/09/2018
Presidente interino do PSDB, Alberto Goldman discursa durante apresentação de proposta do ITV para atualização das diretrizes do PSDB. Brasília, 28/11/2017 – Foto Orlando Brito

Nesta quarta-feira (12), o ex-governador de São Paulo e ex-presidente nacional do PSDB Alberto Goldman fez um alerta sob o risco de o país se perder entre dois extremos nas eleições deste ano: de um lado a extrema direita representada por Jair Bolsonaro (PSL) e do outro o PT de Fernando Haddad.

“Bolsonaro não respeita nada nem ninguém. Para ele, tudo é feito na base da arma, do ataque, da violência. Haddad é o petismo tentando novamente retornar por um outro nome. Não é mais Lula, agora será com ele ou qualquer outro”, alertou Goldman em vídeo publicado em seu blog.

Na opinião de Alberto Goldman, um eventual segundo turno entre Bolsonaro e Haddad seria o “pior dos mundos”. “Seria a maior desgraça. Nós somos os responsáveis por garantir o processo democrático deste país. Somos a maioria da sociedade e não queremos isso. Precisamos nos preparar para uma grande luta, para chegar ao segundo turno sem pelo menos uma dessas candidaturas”, observou.

Para o tucano, o voto em Geraldo Alckmin, candidato do PSDB na corrida presidencial, é a melhor solução para evitar polarização entre candidatos extremistas. “Precisamos buscar soluções para Alckmin e outros cheguem ao segundo turno. É necessário um esforço muito grande de todos nós”, defendeu.

Vitória de Haddad ou Bolsonaro indicaria retrocesso

Na opinião de Goldman, uma vitória de Bolsonaro ou Haddad levaria o Brasil por um caminho que dificultaria acabar com a atual crise vivida nos últimos anos. Para ele, os próximos quatro anos serão essenciais para os brasileiros terem uma vida melhor: “Esse país precisa retomar o crescimento econômico para enfrentar a questão da injustiça social, melhoria das condições de vida do nosso povo”.

Diante de uma campanha eleitoral curta, Goldman ressaltou a necessidade de o país se unir e lutar para que os candidatos extremistas não avancem ao segundo turno. “Vamos derrotar Bolsonaro de um lado e Haddad do outro para a disputa não ser feita por eles. Esse é o meu desejo e acredito ser o melhor para o país”, concluiu.

Assista o vídeo completo:

Reportagem Danilo Queiroz


X
12/09/2018