Programa de governo do candidato José Serra

Confira a íntegra das propostas candidato pela coligação “O Brasil pode mais”

Acompanhe - 29/10/2010

Confira a íntegra das propostas candidato pela coligação “O Brasil pode mais”

Brasília (29) – O programa de governo do presidenciável José Serra (SP), dividido em 20 temas e 118 propostas, reafirma também, o compromisso de fortalecimento das ações sociais, a implantação do décimo terceiro para o Bolsa Família, o reajuste das aposentadorias acima do que propõe o atual governo e a elevação do salário mínimo para R$ 600 já a partir do próximo ano, igualmente acima do que defendem o governo e sua candidatura oficial.

Coordenado pelo secretário de Meio Ambiente do governo de São Paulo, Xico Graziano, com a colaboração de membros dos partidos da coligação e da própria população, que mandou sugestões pela internet, o documento prevê a ampliação do programa de transferência de renda, de forma a beneficiar um total de 15 milhões de famílias.

O Bolsa Família passaria ainda, a pagar um bônus de R$ 500 e R$ 1 mil para cada filho que concluir, respectivamente, o ensino fundamental e o médio, além de estender o recurso aos beneficiários desempregados – por quatro meses.

Assunto discutido na campanha eleitoral, as privatizações estão comentadas pelo programa de Serra. O documento diz: “O PSDB e seus aliados políticos não são privatistas nem estatizantes. Defendem, sim, o ativismo do Estado. Querem o ente público que atua, planeja, define prioridades, impulsiona a produção, articula forças sociais, mobiliza a sociedade”.

Serra propõe a redução dos gastos públicos, por meio do controle de despesas supérfluas – “corte fundamental para abrir espaços para investimento”. A ideia é regulamentar a “Lei de Responsabilidade Fiscal” – criada no governo do PSDB –, instalando o conselho de gestão fiscal e definindo os limites para endividamento da União.

Em relação à economia, o plano critica a elevada taxa de juros do Brasil e a supervalorização do câmbio, fatores que, segundo o documento, beneficiam os especulares e causam sofrimento à indústria e à agricultura nacionais. “O governo atual, em vez de reforçar as bases do crescimento do País, preferiu hipotecar o futuro à comodidade do presente”, diz.

O programa condena a violência no campo, pois durante os dois mandatos do PT, houve aumento de confronto nas áreas rurais, muito em função da passividade das autoridades competentes. Constam no plano de governo propostas para os setores de energia elétrica, política externa, Zona Franca de Manaus, segurança, saúde, educação, petróleo, inclusão social e digital, entre outros.

Confira a íntegra das propostas candidato pela coligação “O Brasil pode mais”.

Temas relacionados:



X
29/10/2010