Defesa de Dilma não deve reverter julgamento da ex-presidente, diz Eduardo Cury

Apesar das tentativas da defesa de Dilma Rousseff de anular a condenação da ex-presidente no impeachment e de determinar que o Senado realize uma nova votação no processo, é pequena a chance de o Supremo Tribunal Federal modificar a situação do julgamento da petista. Reportagem do jornal O Globo afirma que a expectativa é de que todos os recursos que estão nas mãos dos ministros Teori Zavascki e Rosa Weber sejam negados, para conter a instabilidade política no Brasil. Para o deputado federal Eduardo Cury, do PSDB de São Paulo, as ações pela suspensão do impedimento de Dilma dificultariam a retomada de trabalhos para superar a crise enfrentada pelo país.

Notícias - 08/09/2016


X
08/09/2016