Quase oito meses após sofrer impeachment, Dilma não supera tese de “golpe” e vai aos EUA denunciar cassação

Quase oito meses depois de perder o mandato por ter cometido crimes de responsabilidade, a ex-presidente Dilma Rousseff ainda não superou o discurso do “golpe”, e deu início a uma longa viagem pelos Estados Unidos, na qual continua a defender essa tese, além de denunciar o que chama de “retomada de um projeto neoliberal no Brasil”. Em uma palestra realizada no último sábado, Dilma disse que vai continuar alegando que foi vítima de um golpe parlamentar no Brasil. O senador Ataídes Oliveira, do PSDB de Tocantins, reforça que essa tese não prevalece, e lembra que todo o processo de impeachment teve amparo jurídico previsto na Constituição.

Rádio PSDB - 10/04/2017

X
10/04/2017