Relatório da Comissão da Verdade completa dois anos sem punições a agentes da ditadura militar

Já são dois anos desde o dia em que a Comissão Nacional da Verdade entregou o relatório com a lista dos 377 nomes de agentes das Forças Armadas que cometeram atos de violação aos direitos humanos, sem que os envolvidos fossem julgados. Os integrantes da comissão apresentaram no dia 10 de dezembro de 2014, para a então presidente Dilma Rousseff, mas a ex-presidente não deu continuidade aos julgamentos. A falta de punição dos indivíduos gerou uma grande frustração, pois houve expectativa de que os resultados das apurações avançassem, já que a comissão era presidida por uma ex-presidente que foi vítima do regime. O deputado federal Miguel Haddad, do PSDB de São Paulo, considera contraditória a falta de andamento dos processos.

Imprensa - 19/12/2016

Temas relacionados:


X
19/12/2016