Repúdio à interferência indevida da Justiça da Venezuela no processo eleitoral

Acompanhe - 01/02/2024
María Corina Machado Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Eleições livres são um dos principais critérios para que uma democracia funcione corretamente. A interferência da Justiça da Venezuela no processo eleitoral, retirando do processo María Corina Machado, candidata presidencial de oposição ao regime, demonstra mais uma vez que o país vizinho vive uma ditadura.

Assustador registrar que o governo da Venezuela, pouco mais de três meses atrás, assinou o Acordo de Barbados, pelo qual se comprometeu em promover eleições livres no país.
O Brasil, por sua importância na América do Sul, tem obrigação de manifestar seu repúdio à interferência indevida no processo de redemocratização da Venezuela. Mas até agora o governo nada fez.

O povo venezuelano é amigo do Brasil e dos brasileiros e não merece ser subjugado por uma ditadura. Esperamos que o processo democrático seja urgentemente restaurado na Venezuela e que a vontade popular seja finalmente respeitada.

Marconi Perillo, presidente nacional do PSDB

Temas relacionados:


X
01/02/2024