PSDB – MS

marianacastelar

À 00h01 Riedel adesiva carros na Afonso Pena em seu 1° ato de campanha

Agora é oficial, começou a campanha eleitoral de 2022. Serão 45 dias onde o candidato ao Governo de Mato Grosso do Sul, Eduardo Riedel (PSDB), percorrerá os 79 municípios do Estado ouvindo a população e mostrando suas ideias e propostas por um MS melhor.

Em seu primeiro ato oficial de campanha, Riedel participou de uma adesivagem de veículos, na madrugada desta terça-feira (16). Assim que o relógio marcou 00h01, Eduardo Riedel – ao lado da candidata ao Senado, Tereza Cristina (PP) – começou a adesivar veículos de correligionários e simpatizantes de sua candidatura no cruzamento da Avenida Afonso Pena com a Rua Alagoas.

“Foi dada a largada”, disse ele, ao agradecer a presença de dezenas de correligionários. “Bora lá, estamos juntos para os próximos 45 dias, firmes nesse propósito de modernizar ainda mais o nosso Estado”, afirmou Riedel.

 

Comunicação Eduardo Riedel

“Mato Grosso do Sul será o melhor estado do país para trabalharmos e criarmos nossos filhos”

“Mato Grosso do Sul será o melhor estado do país para trabalharmos e criarmos nossos filhos. Um estado com oportunidades para nossos jovens, para as mulheres, para quem produz, para os indígenas, para todos. Este é um compromisso que assumo”, disse nesta sexta-feira (5) Eduardo Riedel, durante a convenção do PSDB, que oficializou a sua candidatura ao Governo do Estado, tendo Barbosinha como vice, e a ex-ministra do presidente Jair Bolsonaro, Tereza Cristina, como parceira ao Senado.

Durante o evento – que reuniu milhares de correligionários, entre eles mais de 70 prefeitos, cerca de 53 vice-prefeitos, mais de 500 vereadores, além de representantes do PSDB, Cidadania, PP, PL, Republicanos, PSB, entre outros partidos – Eduardo Riedel disse que o Mato Grosso do Sul passou por duas grandes crises nos últimos sete anos. Uma crise política, que culminou no impeachment de uma presidente, e uma crise sanitária, com a pandemia. Mas, mesmo assim, com responsabilidade e foco na gestão, o Estado conseguiu chegar até 2022 como o estado com a 3ª menor taxa de desemprego do país, o 5º mais transparente, o 4º mais seguro, a 5ª menor taxa de pobreza. “E isso não é pouca coisa.

Muitos estados sequer honraram os salários dos servidores, sequer honraram o 13º”, lembrou.
“Eduardo Riedel é um gestor que conhece o Mato Grosso do Sul, já percorreu todos os municípios do nosso Estado, e os conhece como a palma de sua mão, assim como eu os conheço. Seu projeto para o nosso Estado é forte e por isso tenho muita vontade de estar a seu lado, para fazer o MS avançar ainda mais, gerar emprego, renda, e mais oportunidades para os sul-mato-grossenses”, disse Tereza Cristina, candidata ao Senado.

“Soldado não foge à luta. Estou animado e confiante. Atendo a região da grande Dourados, segundo maior colégio eleitoral do Estado”, disse Barbosinha, o vice de Eduardo Riedel na corrida eleitoral.
Segundo Riedel, muito foi feito nos últimos sete anos e meio, mas muita há a ser feito ainda. “Vamos governar de mãos dadas com cada sul-mato-grossense, com a juventude, criando condições que viabilizem emprego e renda, sem esquecer da educação e da qualificação profissional. Estamos desenhando um futuro moderno, com oportunidades e infraestrutura que transformem o Mato Grosso do Sul”.

Eduardo Riedel lembrou também que a decisão de ser pré-candidato ao Governo foi difícil e só foi tomada, de fato, devido ao apoio de sua família. “Conversei muito com a minha família. Não é fácil assumir uma responsabilidade dessa. Quando Dona Seila, minha mãe, me aconselhou, foi quando eu decidi definitivamente. Ela disse: ‘Meu filho, a gente sempre reclama, aponta o dedo, discute questões, mas se ninguém assumir a responsabilidade de participar do processo, quem vai fazer?’. Aquela foi a benção para eu estar aqui hoje, junto com vocês, com a minha família, para encarar este desafio de maneira conjunta, para colocar meu nome, minha história de vida, minhas mãos limpas, com autonomia, independência e responsabilidade em prol do Mato Grosso do Sul”.

QUEM É RIEDEL
Riedel é carioca de nascimento e sul-mato-grossense de coração, com fortes raízes em nosso estado e uma história de protagonismo e representatividade tanto no agronegócio quanto na gestão pública.
Graduado em ciências biológicas pela UFRJ é mestre em zootecnia pela UNESP e especialista nas áreas de gestão empresarial, pela FGV, e gestão estratégica, pelo instituto francês INSEAD. Em 1994, Riedel casou-se com Mônica e teve dois filhos: Marcela e Rafael.

Em 1995, após o falecimento de seu avô, Sebastião, mais conhecido como ‘Seu Tatão’, Riedel assumiu a gestão da propriedade rural da família, em Maracaju. Com foco na gestão e na tecnologia, mudou o perfil produtivo da Fazenda Sapé – tornando-a referência em governança familiar, sustentabilidade e diversificação por meio da produção de carne bovina e genética brangus, cana-de-açúcar, grãos, leite e avicultura de corte.

Mas foi a vontade de fazer mais pelo coletivo que levou Riedel a participar do Sindicato Rural de Maracaju até presidir a entidade em 1999. Seu perfil de liderança o transformou em presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (FAMASUL) e, em seguida, diretor da Confederação Nacional de Agricultura (CNA). Seu destaque no segmento foi tão grande que Riedel foi considerando uma das 100 personalidades mais influentes do agronegócio brasileiro.

Em 2015, a convite do governador Reinaldo Azambuja, assumiu um desafio ainda maior e aceitou ser Secretário de Governo. Na SEGOV, Riedel conduziu pessoalmente as mais importantes reformas realizadas no estado, tornando-o o mais enxuto do brasil e líder em transparência. À frente desta secretaria por dois mandatos, Riedel cortou despesas, modernizou processos e liderou equipes de várias áreas, em busca de mais eficiência e resultado no serviço público. Foi assim que o Mato Grosso do Sul se tornou o 1o estado em crescimento, o 1o em investimento por habitante; o 2o em liberdade econômica; o 3o com o menor desemprego e o 5o com a menor taxa de pobreza do país.

Eduardo Riedel deixou a pasta em 2021 para assumir o cargo de Secretário de Infraestrutura de Mato Grosso do Sul, com a missão de impulsionar o ciclo de desenvolvimento econômico, social e humano do Estado.

Durante a pandemia ele também presidiu o comitê gestor do programa de saúde e segurança na economia, o ‘Prosseguir’, que teve papel fundamental tanto no controle da propagação da Covid no estado, quanto na retomada das atividades econômicas e nas políticas de auxílio para os mais carentes e, também, do setor produtivo pós-crise.

Após tantas experiências, Riedel foi chamado para um novo grande desafio: ser pré-candidato ao Governo do Estado de Mato Grosso do Sul.

 

Assessoria de imprensa

“Saio com o dever cumprido”, diz Sérgio de Paula. Governador Assume a presidência do partido

O governador Reinaldo Azambuja é o novo presidente do PSDB de Mato Grosso do Sul. Sérgio de Paula, que esteve a frente do ninho tucano desde maio de 2019, afirmou que sua saída foi de cunho pessoal e conversado com todos os membros da executiva do partido. Reinaldo já foi presidente do ninhode 2007 a 2013.

“Construímos um novo PSDB. Mais forte,  democrático e  plural. Temos na base do nosso governo todas as correntes política, que nos apoiaram. Deixo o PSDB como o maior partido de Mato Grosso do Sul e um dos maiores do Brasil. Agora o nosso governador  Reinaldo Azambuja estará a frente novamente do 45. Seu nome foi decidido de forma unânime na reunião por ser uma liderança capaz de aglutinar apoio não só de nossas fileiras, mas de outros tantos partidos”, explica.

Com mais de 20 anos no PSDB, Sérgio afirma que agora irá se dedicar ainda mais a Casa Civil, no qual é secretário, e ser um grande colaborador da campanha do pré-candidato a governo do Estado pelo PSDB, Eduardo Riedel.

“Quero ser um colaborador e vou me dedicar bastante na campanha do Riedel, mas não tenho nenhum tipo de pretensão de pertencer ao governo. Estou nisso porque acredito neste projeto.  Dentro do quadro, Riedel foi, sem dúvida,  a melhor escolha. Ele é um cara leve, conhecedor profundo do municipalismo e um homem preparado para ser o próximo governador”.

 

Convenção

A convenção do PSDB acontece na sexta, feira, 5 de agosto, das 10h às 13h, no Diretório do PSDB, localizado na Avenida Ministro João Arinos, 156.

“O papel do PSDB é servir ao país”, por Bruno Araújo

Desde seu surgimento, em 1988, o PSDB foi protagonista dos momentos fundamentais da nossa história. Com líderes que estiveram na linha de frente da redemocratização, contribuiu para a entrada do Brasil no terceiro milênio com estabilidade econômica, programas de transferência de rendas, privatizações e modernização do Estado.

Na oposição a partir de 2003, o PSDB viu o então presidente Lula manter a política econômica e social tucana e, simultaneamente, o PT culpar o partido como responsável por uma suposta “herança maldita”. Acusação leviana da qual o PSDB não soube se defender adequadamente. Mas quando o PT se desviou dos parâmetros da governança tucana o Brasil entrou numa espiral de crises da qual até hoje não conseguiu se recuperar.

Por meio da chamada “nova matriz econômica”, os petistas tentaram reviver o Estado grande e ineficiente dos governos militares. As consequências foram recessão, desemprego, inflação e o maior escândalo de corrupção da história.

O PSDB também sofreu com acusações injustas que o machucaram. Os resultados da confluência entre a crise econômica gerada pelo PT e o movimento da antipolítica foi a eleição de Jair Bolsonaro, com sua nostalgia do regime militar, ameaças às instituições, confusões administrativas e bravatas diárias. A Executiva Nacional do PSDB sempre repudiou os excessos do governo atual. Fizemos do partido uma trincheira em defesa da democracia e das instituições. Ouso afirmar que nossos atos ajudaram a refrear ímpetos golpistas.

Sofremos crítica devido ao fato de a nossa bancada, em certos momentos, ter votado com o governo. Na grande maioria das vezes, foram matérias cuja essência está no nosso DNA e são benéficas ao país, como a modernização do Estado. Bolsonaro e o PT votavam juntos na pauta econômica, populista e corporativista, como na oposição à privatização da Vale e à reforma da Previdência. Quem mudou foi ele, não nós.

Claro que também cometemos erros durante esse processo de décadas. Mas a hora é de olhar para frente. O Brasil tem questões urgentes a resolver. De um lado, lidamos com um presidente que, sim, ameaça a sociedade, foi insensível com o drama de milhões na pandemia e prefere concentrar suas energias em pautas ideológicas estapafúrdias. De outro, um partido que nada aprendeu e que apresenta à sociedade propostas que retomam erros da presidente Dilma.

Não precisamos escolher entre duas crises, a institucional, com Bolsonaro, ou a econômica, com o PT. Não precisamos votar “não”; podemos votar “sim”. Por isso, escolhemos nos unirmos à pré-candidatura de Simone Tebet, do MDB. O ex-governador João Doria demonstrou elevado espírito público para construirmos a aliança.

O país superou seus momentos difíceis quando as forças fiéis à democracia estiveram juntas. Podemos citar a eleição de Tancredo Neves, em 1985, ou a aliança que apoiou Itamar Franco a partir de 1992, e o Plano Real, em 1994. Agora não tem como ser diferente.

Por mais que a natureza do PSDB, desde 1989, com Mario Covas, tenha sido ter candidaturas próprias, neste momento da história o dever era oferecer à nação um quadro viável, que fosse parte de uma aliança mais ampla. Portanto, abrir mão do nosso nome em favor do nome do MDB é gesto de absoluto respeito do PSDB ao eleitor. Porque o PSDB não serve a si mesmo, mas ao Brasil.

O PSDB segue confiante em seu futuro. Basta ver a lista de nomes, nossos candidatos, que apontam para essa renovação, como Rodrigo Garcia, em São Paulo; Eduardo Leite, no Rio Grande do Sul; Raquel Lyra, em Pernambuco; Pedro Cunha Lima, na Paraíba; Alessandro Vieira, em Sergipe; e Eduardo Riedel, no Mato Grosso do Sul. São líderes de quem os brasileiros ouvirão falar muito, e muito positivamente, agora e nas próximas décadas. O PSDB continua com muita gente vocacionada para carregar nossos ideais.

(*) Advogado, presidente nacional do PSDB

Artigo publicado no jornal O GLOBO, em 19/06/2022

Herança Brasil: e-book mostra as ações do PSDB a favor dos brasileiros

O PSDB é um partido de realizações. E muitas delas mudaram a cara do Brasil, continuam fazendo a vida das pessoas melhorar e farão com que o futuro dos brasileiros seja melhor que o presente.

Nascemos da vontade de construir um Brasil melhor. Somos feitos da liderança, da garra e do empenho de quem, dia após dia, nos governos, nos legislativos ou nas suas atividades privadas, dedica-se a promover desenvolvimento, justiça social e igualdade de oportunidades.

Nesses 34 anos de existência, esse sentimento sempre norteou o rumo e as iniciativas do PSDB.

Conheça o e-book Herança Brasil, com as realizações do nosso partido a favor dos brasileiros!

 

PSDB Nacional

Presidente nacional dá carta branca para PSDB de MS fazer aliança com quem quiser

Em respeito às particularidades de Mato Grosso do Sul, o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, deu carta branca para o governador Reinaldo Azambuja e para o pré-candidato Eduardo Riedel conduzirem o processo eleitoral no Estado.

Na prática, isso significa que Eduardo Riedel poderá fazer aliança com qualquer candidato a presidente da República, independente do apoio nacional ao MDB em torno da candidatura de Simone Tebet.

Pela primeira vez desde a redemocratização, o PSDB não terá candidato próprio à presidência (Mario Covas disputou em 1989; Fernando Henrique Cardoso, em 1994 e 1998; José Serra, em 2002 e 2010; Geraldo Alckmin, em 2006 e 2018; e Aécio Neves, em 2014).

“O governador Reinaldo Azambuja e o nosso candidato, Eduardo Riedel, têm autonomia e nossa total confiança para conduzir todo o processo no Mato Grosso do Sul. Eu pessoalmente me dediquei à possibilidade de um entendimento local entre o MDB e o PSDB. As realidades locais são mais poderosas do que alianças nacionais e respeito isso. Sempre foi assim. O PSDB do MS está política e moralmente livre para tomar a decisão que melhor se adequar a sua realidade local”, disse Bruno Araújo.

Apesar da aliança nacional, PSDB e MDB devem se enfrentar na disputa pela administração estadual em Mato Grosso do Sul. Enquanto Riedel é o pré-candidato tucano à sucessão de Reinaldo Azambuja, o PMDB tenta voltar ao Parque dos Poderes com o ex-governador André Puccinelli.

Contando com a ex-ministra Tereza Cristina como pré-candidata ao Senado, Riedel tem declarado apoio à reeleição de Bolsonaro. No entanto, já aconteceu de o partido ter mais de um candidato a presidente em Mato Grosso do Sul.

No primeiro turno, em 2018, o governador Reinaldo Azambuja reiteradamente disse apoiar dois presidenciáveis: Geraldo Alckmin, do mesmo partido, e Bolsonaro, na época no PSL.

Mais de 500 jovens comparecem a posse da nova Executiva da JPSDB

Em um evento que reuniu mais de 500 jovens, lideranças do partido e  aliados, além do pré-candidato ao governo pelo PSDB, Eduardo Riedel, Felipe Vinicios Rodrigues e Rodrigo Cavassa assumiram, ao lado da sua executiva, nesta terça-feira (07), no Diretório do PSDB, a presidência e a vice-presidência, respectivamente, da Juventude do PSDB de Mato Grosso do Sul.

Com agenda em Brasília, o secretário-geral do PSDB Nacional, o deputado federal e pré-candidato à reeleição, Beto Pereira, destacou a juventude do partido como a responsável pela motivação e oxigenação partidária

“Neste momento em que se renova a executiva da juventude do PSDB do Mato Grosso do Sul eu desejo a todos boas-vindas. Vocês tem um papel fundamental junto a formação partidária que nós desejamos”.

Falando sobre renovação, o vice-presidente do PSDB e presidente da Assembleia de Mato Grosso do Sul, Paulo Côrrea, parabenizou os jovens e falou do futuro da política tucana sul-mato-grossense.

“Daqui sairão líderes e lideranças que mostrarão a força do nosso partido porque agora temos uma JPSDB que vai nos representar.”

Presidente do PSDB de São Paulo, Fernando Alfredo, falou do momento histórico para a  juventude de Mato Grosso do Sul

“Parabéns a nova executiva que toma posse em um momento importante no nosso partido, que encara a responsabilidade de colocar nomes jovens nesta campanha e nas outras que virão, e com vocês, eu tenho a certeza que Eduardo será vitorioso por sua referência em gestão e trabalho”.

Falando do seu histórico na juventude e o respeito ao JPSDB, o pré-candidato a deputado federal, Geraldo Resende, mostrou apoio a nova executiva.

“Eu tenho um profundo respeito e comprometimento com as causas da juventude porque eu também fiz parte deste momento, entrei jovem na política. Na história deste país em todos os momentos os jovens estavam lá participando ativamente na política, e aqui também temos essa força”.

Falando sobre o futuro do partido, Carlos Alberto de Assis, deu as boas vindas a nova executiva da JPSDB.

“Esta noite é decisiva para a nossa caminhada. Águas passadas não movem moinhos. O que foi, foi e o que vem agora serão vocês, que mostram a verdadeira força do nosso partido. Nossos amigos estão aqui e compareceram, isso é o  tamanho da nossa juventude”.

O pré-candidato ao governo do Estado pelo PSDB, Eduardo Riedel falou que o rumo do país é dada pela juventude.

Como é bom ter o retorno da juventude presente na discussão política. Não da pra pensar no nosso Estado sem a juventude junta. Além do PSDB, hoje vocês estão assumindo uma responsabilidade com Mato Grosso do Sul, e aqui, ao ver a movimentação dessa juventude em torno do partido e em torno da política redobra minha força e energia pra caminhar rumo a outubro.”

No partido há duas décadas, o presidente de honra da JPSDB de Mato Grosso do Sul, Anderson Barão, afirma que saídas são parte da caminhada partidária e que agora o partido está com jovens dispostos a fazer a Juventude acontecer.

“Essa mudança é importante porque mostra que o partido não vivenciou apenas um grupo. Neste momento de campanha, que está se aproximando, é importante mostrar a força, e agora temos jovens dispostos a fazer o partido andar e força de vontade pra fazer a juventude acontecer. Essa juventude que vem agora está vindo com a visão de renovar, a juventude por um ideal, a juventude que dá resultado”.

No PSDB desde 2014, e presidente da JPSDB de Campo Grande, Jean Paçoka fala que a juventude sai mais fortalecida. “Eu sou apaixonado pelo PSDB. Entrei em 2014 na Juventude e de lá pra cá, muitas coisas bacanas aconteceram. A juventude está em todo lugar, em todo canto. Acredito que é uma das forças maiores que temos no Estado é o jovem, e saímos muito mais fortalecidos e dispostos”.

Afirmando que o partido é muito maior que as pessoas que aqui estão, o presidente municipal do PSDB de Campo Grande, o vereador e pré-candidato a deputado estadual, João César Mattogrosso, fala da tranquilidade em  buscar novos quadros pra assumir novos desafios.

“Precisamos de pessoas que tenham a consciência da importância de assumir a responsabilidade a presidência de um secretariado. Nós erramos lá atrás quando acreditávamos que essas pessoas eram preparadas para assumir um partido como o nosso, mas a gente fica muito feliz em saber que dentro do quadro tucano espalhado nos 79 municípios nós temos pessoas preparadas, capacitadas e com vontade de fazer a boa política, e a prova disso é o que está acontecendo hoje.”

Há dez anos no partido, Felipe Vinicios Rodrigues encara a presidência estadual da JPSDB com muita tranquilidade.

“O que passou, passou, agora é hora de trabalhar e nós estamos empenhados com a nossa nova executiva. A conversa é uma só: fortalecer nossa juventude e nosso partido, que é plural e vai além de objetivos de uma pessoa ou grupo. Estou há dez anos, já fui presidente da Juventude de Campo Grande e agora é a hora de assumir a de Mato Grosso do Sul, e faço isso com muito orgulho e vontade de fortalecer nosso partido e nosso secretariado”.

Sérgio de Paula, presidente estadual do PSDB de Mato Grosso do Sul, fala do seu orgulho em estar a frente da sigla e diz que agora é hora de seguir trabalhando.

“Nosso Estado de Mato Grosso do Sul tem mais de 34 mil filiados e uma militância de aproximadamente 500 jovens que nos orgulham muito. Respeitamos todos os filiados, inclusive os que saíram para ingressarem em outras siglas partidárias. Agora é hora de virar a página e continuar nosso trabalho pelo partido e por Mato Grosso do Sul, e não tenho dúvidas que esta nova executiva fará isso”.

 

Confira os membros da Comissão Executiva do JPSDB

 

Felipe Vinicios Rodrigues (Presidente)

Rodrigo Cavassa (Vice-presidente)

Kariny Candido Rios (Secretária)

Kaique Fernandes Evangelista (Tesoureiro)

Nivaldo Henrique Pereira (Segundi Secretário)

Heber Vilela Cassiano de Sá (Diretor de Ações Sociais)

Paulo Guilherme de Souza Rezek (Diretor de Mídias Sociais)

Douglas Breno Duarte Gomes (Diretor de Grêmios Estudantis)

 

Ninho tucano perde Jair Boni Cogo

É com muita tristeza que o PSDB de Mato Grosso do Sul escreve esta nota.

A política perde uma referência de ética, de exemplo, de pessoa e de gestor.

Um dos fundadores do PSDB de Mato Grosso do Sul, Jair Boni Cogo estava em seu quinto mandato como prefeito de Cassilândia, até seu afastamento por conta de sua doença.

Desejamos força a seus familiares e amigos.

Sérgio de Paula
Presidente do PSDB de Mato Grosso do Sul

PSDB-Mulher chega a Mato Grosso do Sulcom força-tarefa sobre presença feminina na política

O Secretariado Nacional da Mulher/PSDB chega a Mato Grosso do Sul neste sábado (21) com uma força-tarefa para estimular a participação feminina na política. O movimento, que ocorre em todas as regiões do país, é liderado pela presidente do PSDB-Mulher e ex-governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius.

A programação se concentrará no Diretório Estadual do PSDB-MS, em Campo Grande, onde será promovido o Seminário de Capacitação “Mulheres que Constroem um Brasil Melhor”, voltado ao fortalecimento da competitividade de candidaturas de mulheres para aumentar a representatividade feminina na política.

“É fundamental colocar em prática ações que atraiam e ampliem a atuação das mulheres na política, seja na forma de qualificar e apoiar candidaturas de mulheres nessas eleições, bem como de qualificar as militantes para a formação de equipes para enfrentar a campanha eleitoral 2022”, observa a presidente do PSDB-Mulher, Yeda Crusius.

Os cursos regionalizados já passaram por Goiás, Paraíba, Distrito Federal, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Com a força-tarefa, o Secretariado Nacional da Mulher/PSDB pretende identificar, qualificar e fortalecer candidaturas de mulheres, traçando como meta a eleição do maior número de deputadas estaduais, federais, senadoras e governadoras pelo PSDB.

“É estratégico para o nosso país construir alternativas que valorizem a presença das mulheres na política, com respeito, voz, ideias e ideais. Esse movimento objetiva reforçar a competitividade feminina, com toda a contribuição que podemos dar para a área social, para a área econômica e principalmente na gestão, para construirmos juntas um Brasil melhor”, avalia Yeda Crusius.

Entre as lideranças confirmadas para o encontro, estão a vice-presidente do Secretariado Nacional da Mulher/PSDB, Thelma de Oliveira; o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja; o pré-candidato a governador no Estado, Eduardo Riedel;a presidente do PSDB-Mulher/MS, Mara Caseiro;a coordenadora do PSDB-Mulher na região Centro-Oeste, Andréia Moura; o presidente do Diretório Estadual do PSDB/MS, Sérgio de Paula; e a presidente do PSDB-Mulher de Campo Grande, Carla Teixeira.

Programação

Um dos painéis do seminário irá abordar a temática das Políticas Públicas para Mulheres Pós-Pandemia e Bandeiras Eleitorais PSDB-Mulher. O assunto será detalhado por Tarsila Rorato Crusius, psicóloga e mestra em Direitos Humanos, especialista em gestão do trabalho e da educação em saúde.

O encontro ainda debaterá aspectos da comunicação política, legislação eleitoral e os cenários local e nacional para 2022. A programação completa pode ser acessada no link: psdb-mulher.org.br.

 

Ato em apoio a Riedel reúne 500 vereadores dos 79 municípios do Estado

Pelo menos 500 vereadores, de todas as 79 cidades sul-mato-grossenses, estiveram presentes na noite de ontem, quinta-feira (5) no Diretório Estadual do PSDB, em um grande ato de apoio à pré-candidatura de Eduardo Riedel ao governo do Estado. O número representa cerca de 60% de todos os representantes dos legislativos municipais e acontece apenas três semanas após o tucano ter recebido uma carta de compromisso de 71 dos 79 prefeitos de Mato Grosso do Sul.

Eduardo Riedel agradeceu o apoio e a presença dos vereadores e vereadoras, lembrou o quanto eles foram importantes nas últimas eleições para governador e destacou a presença de representantes de diversas legendas no encontro, como PP, PL, Republicanos e do próprio PSDB. “Estão aqui não por questão partidária, mas por um projeto por Mato Grosso do Sul. Ninguém está aqui forçado, não cabe mais cabresto, não se faz política assim mais. É preciso construir uma nova política com diálogo, sentados na mesa, ouvindo as demandas que vocês, vereadores e vereadores, recebem da população lá na ponta, no dia a dia dos municípios”, frisou o pré-candidato tucano.

O governador Reinaldo Azambuja também falou em tom de gratidão aos parlamentares, lembrando que nas duas eleições que disputou, e venceu, para o governo, contou com apoio maciço dos vereadores. “A Tereza e o Eduardo trabalharam muito por Mato Grosso do Sul, e deixaram um grande legado, que é esse momento de construção com participação de todos. Participaram diretamente da coragem que tivemos para transformar e fazer do Estado o que mais cresce no país e o que mais investe do Brasil”, celebrou Reinaldo.

Para o Eduardo Riedel, a transformação que colocou Mato Grosso do Sul como referência no país, traduzido em números como R$ 12 bilhões em investimentos públicos nos 79 municípios e a captação de R$ 33 bilhões em investimentos privados em todo Estado, só foram possíveis graças a um modelo de trabalho e gestão municipalista e de diálogo, focado na competência e em resultados positivos na vida da população.

Na avaliação do presidente da UCV/MS (União das Câmaras de Vereadores de Mato Grosso do Sul), vereador de Jateí, Jeovani Vieira, a força política demonstrada no evento é fruto de um governo municipalista e que sempre manteve as portas abertas às demandas da população levadas ao Executivo por intermédios dos legislativos municipais.

 

 

Assessoria