Notícias - 14/08/2018

Comissão Eleitoral do PSDB-Mulher define que todas candidatas tucanas receberão recursos do Fundo Eleitoral

A Comissão Eleitoral do PSDB-Mulher reuniu-se pela primeira vez nesta segunda-feira (13), na sede nacional do partido, para alinhar as estratégias de administração dos recursos do Fundo Eleitoral destinados às candidatas tucanas. A presidente de honra, Solange Jurema (AL), a 2ª vice-presidente, prefeita Thelma de Oliveira (MT) e a coordenadora de formação e cidadania do segmento, Izabel Lorenzetti (SP), fizeram uma análise da situação de cada candidatas para identificar quais se enquadram nos pré-requisitos para a distribuição dos recursos eleitorais, definidos previamente em reunião ampliada do Secretariado Nacional com as presidentes estaduais do PSDB-Mulher .

Izabel Lorenzetti chamou atenção para o aumento do número de candidatas após o anúncio da ampliação de verbas para as candidaturas femininas. “Nós demos um salto de 150 para 320 candidatas. Isso nos pegou de surpresa e fará com que as candidatas recebam menos que a nossa expectativa, mas todas receberão. O nosso desafio é conseguir administrar e analisar a situação de cada uma delas para poder apoiá-las”, explicou.

Na opinião da tucana, mais do que os recursos financeiros, a criatividade e o planejamento da campanha serão decisivos no sucesso de cada candidata. “O discurso e as bandeiras que cada uma vai levantar para aumentar a representatividade feminina é que vão ser a chave do sucesso”, completou.

Solange Jurema destacou a importância do monitoramento para evitar as candidaturas laranjas. “O PSDB-Mulher tem o compromisso com a ética e a destinação correta desses recursos. Temos que detectar se são de fato mulheres que tenham vocação para política, que estejam ali para disputar verdadeiramente”, observou.

A prefeita de Chapada dos Guimarães (MT), Thelma de Oliveira, demonstrou satisfação em participar da comissão e contribuir para o aumento da representatividade feminina nos cargos de poder. Para ela, o desafio de gerenciar as campanhas é positivo.

“É um desafio, mas é um desafio bom. Nós vamos ajudar as nossas candidatas e isso é inédito. Nós faremos isso com muito equilíbrio, com muita responsabilidade e seguindo os critérios que nós estabelecemos”, concluiu.

X
13/06/2019