Imprensa - 22/05/2016

Cresce apoio ao nome de Solange Jurema para presidir a Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres

Reunião suprapartidária lança nome de Solange Jurema para a SNPM
Reunião suprapartidária lança nome de Solange Jurema para a SNPM

Brasília (DF) – O PSDB Mulher Nacional em conjunto com os segmentos femininos do PPS e do DEM, escolheu por unanimidade o nome de Solange Jurema para presidir a Secretaria de Políticas para Mulheres, em uma reunião na quarta-feira (18)  pouco antes de ir ao Ministério de Justiça, para audiência com o ministro Alexandre de Moraes, em que foram pedir a manutenção do status atual da Secretaria de Políticas para Mulheres, o que foi conseguido.

Estiveram presentes a presidente do PSDB Mulher Nacional, Solange Jurema, a vice-presidente Nancy Ferruzzi Thame, Jimmyanna Rocha, coordenadora de Rede do 3º Setor do PSDB Mulher Nacional; Flávia Cruvinel, coordenadora de Rede de Ações Afirmativas do PSDB Mulher Nacional; Madalena Sirkis, secretária-executiva do DEM Mulher; Raquel Dias, executiva da Coordenação da Nacional de Mulheres do PPS e Tereza Vitale, coordenadora do Conselho Consultivo da CNM do PPS.

A meta do encontro era chegar ao consenso sobre o perfil ideal para estar à frente da Secretaria de Políticas para Mulheres; uma mulher que reunisse experiência anterior em políticas de gênero e questões sociais, habilidade no contato com o Executivo e com Organismos e Parlamentos internacionais e visão do todo, para que ações de políticas públicas pudessem alcançar sua maior efetividade através da transversalidade que apenas as qualidades descritas acima podem garantir.

Reunião suprapartidária com ministro Alexandre de Moraes pede pela manutenção do status da SNPM/ Foto: Allan de Carvalho
Reunião suprapartidária com ministro Alexandre de Moraes pede pela manutenção do status da SNPM/ Foto: Allan de Carvalho

Foi decidido que o perfil se encaixava perfeitamente na presidente do PSDB Mulher Nacional, Solange Bentes Jurema.

Feminista e agente do Direito, Solange Jurema foi presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher em 1999 – e a primeira Ministra de Políticas para Mulheres em 2002 -, e jamais se afastou das políticas sociais e de gênero. De 2007 a 2010, teve participação no governo tucano de Teotônio Vilela, em Alagoas, onde ocupou o cargo de secretária estadual de Assistência e Desenvolvimento Social. Em janeiro de 2013, assumiu a Secretaria Municipal do Trabalho, Economia Solidária e Abastecimento, da prefeitura de Maceió, na gestão tucana de Rui Palmeira.

À frente do Secretariado Nacional da Mulher/PSDB, que preside desde 2013, Solange Jurema vem trocando experiências com organismos internacionais como a Fundação Konrad Adenauer e a ONU Mulher, havendo retornado há pouco mais de uma semana da Alemanha, onde teve a oportunidade de visitar o Parlamento alemão e debater a situação política brasileira com parlamentares daquele país. Essa capilaridade garante a Solange um trabalho de excelência a favor das mulheres.

Foto: Wanda Engel Divulgação
Foto: Wanda Engel Divulgação

Como já era de se esperar, mal foi lançado, o nome de Solange começou a angariar apoios importantes, inclusive de fora do partido. Uma manifestação de reconhecimento justa, para quem dedicou a vida inteira à política de gênero e aos direitos da mulher, que veio de todos os lados, como a da educadora e ex-Ministra de Assistência Social, Wanda Engel, que comemorou; “Solange Jurema reúne qualidades raras que fazem dela o melhor perfil para a promoção de políticas de gênero no Brasil: sólida experiência, compromisso visceral com o tema, competência técnica de gestão e, especialmente, vocação e habilidade para o diálogo”.

Apoio da ONU Mulher

A sintonia é tamanha que a ONU Mulher já se posicionou: “Solange acumulou na vida política uma qualidade de ações positivas para as mulheres, é experiente, feminista com sólidos projetos”, disse Eva Blay, do Núcleo de Mulheres Feministas da USP e Coordenadora para a América Latina da campanha contra a violência nos campos universitários “Eles por Elas”.

Cristovam Buarque

“Considero muito positivo o movimento a favor da Solange Jurema para ocupar este importante cargo de secretária nacional de Políticas Públicas para as Mulheres.” senador Cristovam Buarque, PPS-DF

Manifestação da Bancada

Com a opção feita, a bancada feminina do PSDB na Câmara dos Deputados começou a se manifestar em apoio a Solange, a exemplo da deputada federal Mara Gabrilli (SP), que declarou: “Solange Jurema tem a experiência e a sensibilidade necessárias para liderar os temas da Mulher que precisam ser discutidos em nível nacional.”.

Currículo Exemplar

De Alagoas, estado natal da presidente do segmento feminino tucano, veio o apoio de Teotonio Vilela Filho, para quem “Solange Jurema carrega em sua história ética, compromisso público, experiência e a competência necessária para comandar nacionalmente a causa da Mulher.”.

Com um currículo imaculado e muita competência, Solange Jurema é um nome forte e a mulher certa para estar à frente da Secretaria de Políticas para Mulheres neste momento em que o governo de Michel Temer se inicia e precisa de muita ajuda, para enfrentar os tempos turbulentos que se aproximam.

X
11/01/2021