Notícias - 22/07/2020

Editorial: Deu certo!

O PSDB mais uma vez saiu na frente e em 2018 quando, após as decisões dos Tribunais de destinação de no mínimo 30% dos recursos oriundos dos Fundos Partidário e Eleitoral, o então presidente do partido Geraldo Alckmin cumpriu a lei depositando a confiança na destinação dos recursos ao seu segmento das mulheres tucanas, o PSDB-Mulher. O que deu certo: mais mulheres eleitas, e nenhuma laranja. Como foi isso?

Deu certo, os números não mentem. Em 2018 elegemos uma senadora, aumentamos mais de 60% nossa bancada feminina na Câmara dos Deputados, mais de 30% nas bancadas estaduais e, em um momento, no qual o nosso partido não foi tão bem assim nas urnas, pois elegemos três governadores, menor número desde as primeiras eleições livres de 1990.

Foi o PSDB o primeiro partido a encaminhar para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a Resolução, obrigatória por lei, com as regras para a distribuição dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha. Assim que disponibilizados pelo TSE, os recursos do Fundo Eleitoral destinados às candidaturas femininas foram imediatamente depositados em uma conta separada para o segmento da mulher, e a partir daí eram transferidos diretamente para a conta da candidata sem intermediários.

O PSDB-Mulher seguiu com a capacitação de pré-candidatas através de cursos, e inovou no apoio individual a candidatas por plataforma própria de atendimento jurídico e de marketing. Podemos afirmar que conhecíamos as mais de trezentas candidatas lançadas pelo segmento, seja pelo segmento nacional ou pelo estadual.

Assim, o PSDB-Mulher, com a responsabilidade que a autonomia reconhecida pelo então presidente Geraldo Alckmin exigia, zelou pelo efetivo papel da candidata em ser, de fato, candidata e não apenas figurante, fornecendo capacitação política, apoio jurídico, contábil, material gráfico, apoio técnico para a utilização das redes sociais e recursos.

Lembramos que a presidente Yeda Crusius garantiu aos Tribunais Superiores e ao Ministério Público que no PSDB não haveria candidaturas femininas fictícias. Hoje é reconhecido pelos Tribunais como o segmento que melhor definiu as regras para a distribuição dos recursos eleitorais.

O PSDB-Mulher vem trabalhando para repetirmos o êxito das eleições passadas com as parcerias e apoios que sempre tivemos. E estamos prontas para mais um desafio que são as eleições 2020, nas primeiras eleições em que a campanha eleitoral será virtual, fato inédito motivado pela crise do coronavírus.

PSDB-Mulher
Data do Editorial: 22/07/2020

X
21/09/2020