Acompanhe - 15/03/2018

Yeda Crusius lamenta assassinatos de Marielle Franco e assessor no Rio

Congresso do PSDB Mulher, no hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre. FOTO: Jefferson Bernardes/ Agência Preview

Emocionada, a presidente do PSDB Mulher nacional, a deputada Yeda Crusius (PSDB-RS), prestou, nesta quinta-feira (15), solidariedade à família e amigos da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e de seu assessor Anderson Pedro Gomes, assassinados ontem à noite, após um evento político, no centro da capital fluminense.

“Não importa o partido, eu gostaria de dar  [para ela] os 60 mil tweets que eu dei para ela hoje de manha. São 60 mil mortos por ano no nosso país”, afirmou Yeda Crusius que coordena o seminário de capacitação, em Porto Alegre (RS),  com apoio da Fundação Konrad Adenauer (KAS Brasil) e do Instituto Teotonio Vilela (ITV).

A tucana ressaltou a importância da atuação política da vereadora morta no Rio. “Marielle é parte das minorias que as mulheres representam. Peço que o colegiado emita uma nota repudiando a violência”, disse.

Assassinato

Marielle Franco, 37 anos, eleita há um, foi morta a tiros dentro de um carro na Região Central do Rio, ao lado do motorista do veículo, Anderson Pedro Gomes. Aproximadamente três horas antes, a vereadora fez uma transmissão ao vivo de um evento em que ressaltou o crescimento de crimes contra mulheres negras.

A polícia trabalha com a hipótese de assassinato. Marielle era militante política contra os abusos cometidos por milícias, principalmente na região de Acari, no Rio de Janeiro. Era defensora dos direitos humanos de forma geral, das mulheres e do público LGBT + (lésbicas, gays, bissexuais e trans).

Nesta quinta-feira autoridades públicas federais e estaduais têm reunião, no Rio, com o interventor federal, General Braga Netto, e reforçar o pedido de rigor nas investigações do crime. Todo o aparato do ObservaRIO e a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos estão mobilizados para acompanhar o caso.

PSDB Nacional

Em nota, a Liderança do PSDB na Câmara repudiou o assassinato da vereadora. A seguir, a íntegra:

“Nada justifica a violência e a intolerância. Nossos sentimentos aos familiares e amigos da vereadora Marielle Franco (PSOL), e do seu assessor Anderson Pedro Gomes, covardemente assassinados ontem no Rio. Que os responsáveis sejam identificados e punidos.”

Nilson Leitão (MT), líder do PSDB na Câmara

X
05/04/2021